LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Produção científica brasileira

Meus amigos,

Nada como os gráficos e o seu poder de revelar resultados de políticas e investimentos públicos. Este sobre a produção científica no Brasil é particularmente interessante.
​Em primeiro lugar, olhem o crescimento da produção científica após 2003 (publicada no exterior!). Perto de 11 mil artigos produzidos em 2000 (época de pré falência das universidades públicas) saltam para 38.500 em 2013.
Depois, os dados da desconcentração da produção, depois de um período de concentração forte nas universidades estaduais paulistas, um processo bem mais lento, mas já com sinais positivos. Hoje, não são só as estaduais paulistas produzem ciência de padrão internacional. Isto se disseminou pelo país.
O que estes dados apontam? O que podemos refletir a partir deles?​
Dá para pensar em voltar pra trás? Nós bem sabemos de onde virão os cortes para ampliar os superávits necessários para remunerar mais o capital financeiro!

​#Dilma13






Recebido por e-mail

Nenhum comentário: