LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

QUASE LÁ!

O texto é anterior ao primeiro turno, mas importantíssimo e relevante para o segundo. Boa leitura.

Elinalva.

Quase lá!

militantes_ptÉ muito simples: podemos vencer no primeiro turno e eliminar de nossas vidas mais três semanas de campanha eleitoral, onde mais baixaria, ódio, vingança e mentiras nos aguardam. Não precisamos passar por isso a cada campanha eleitoral. Não há novidade, é sempre o mesmo: Todos contra o PT.
Para institutos de pesquisa, marqueteiros e equipes de cada candidato, fechar a fatura no primeiro turno é mau negócio. Campanha eleitoral movimenta muita grana. Quem está no “negócio-campanha-eleitoral” sabe que só tem “mercado de trabalho” de dois em dois anos. E não falo de impressão de santinho… é grana grossa, que marqueteiros e assessores faturam. Um segundo turno de campanha eleitoral significa “dobrar” seu faturamento.
Querer renovação, mais avanços, é super legítimo. Mas onde está esse tão desejado “novo”? Onde está o(a) candidato(a) que incorpora a tal terceira via? Existe mesmo uma terceira via para o Brasil?
Países do chamado primeiro mundo – onde miséria e exclusão social foram superadas há décadas – comportam a ideia da terceira via, verde, rosa ou o que for em seus processos eleitorais. Mas no Brasil, FHC definiu a tal terceira via como: “Qualquer um serve, desde que tire o PT do governo”. Ora, isso não é projeto de NADA. É pregação da burrice. Pergunte a qualquer eleitor de Aécio ou Marina o que ele entende por terceira via. Ele repetirá os bordões anti-petistas. Nada mais.
O PT tem um projeto includente sócio-transformador muito bem estruturado. Com Dilma, o sucesso das políticas sociais é reconhecido mundialmente (pesquisa que você encontra). Menos – claro – em nossa imprensa tucana até a alma.
Desde 2002, a direita vem insistindo em fazer política golpista. Em vez de construir um candidato consistente, com propostas reais, prefere seguir o modelo “Collor – o caçador de marajás” – que foi o maior engodo já visto por aqui desde o fim da ditadura.
É hora da oposição entender que precisa se renovar. Apague do quadro atual FHC, Serra, Alckmin e mais 1/2 dúzia de velhacos do PSDB e você vai ter que voltar ao século passado para saber da história desse partido que pretendeu, um dia, ser vanguarda no “social” – mas acabou sendo engolido pela extrema direita burra e fascistóide.
O quadro está colocado. Se houver, o segundo turno tudo se repetirá: a mídia criará alguns factóides-festins e voltará ao bate-estaca de sempre: o anti-petismo e seus sinônimos mentirosos. Discursos natureba-fundamentalistas ou reaças-entreguistas ainda podem colar nos indecisos. Vai depender do “com quem andas…”.
O PT tem 40% de eleitores imunes a estes ataques. Falta a você, caro (e)leitor, convencer seu parente, amigo ou vizinho indeciso de que podemos vencer já, neste domingo, e fazer história. Trata-se de reforçar a Unasul, o Mercosul e o Brics. Trata-se de manter o Brasil longe da órbita neo-liberal – que anula tudo à volta em benefício de 1/2 dúzia de banqueiros. E trata-se, principalmente, de proteger a riqueza do pré-sal das garras dos gigantes do petróleo mundial.
Dar a Dilma um segundo mandato é manter um projeto de governo que abrange a todos nós; que nada tem a ver com ditadura, comunismo ou qualquer (burr)ismo do tipo.

http://oqueseraquemeda.wordpress.com/2014/10/05/4592/#more-4592

Nenhum comentário: