LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

domingo, 26 de outubro de 2014

VEJA AMARELA, MAS SÓ CUMPRE A LEI ÀS 16H30

:


Além de tentar golpear a democracia, com sua denúncia sem provas deste fim de semana, Veja cometeu um novo crime neste domingo, ao descumprir a ordem judicial do ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral, que determinou a publicação de um direito de resposta em favor da coligação da presidente Dilma; neste domingo, o procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, solicitou ao TSE, neste domingo, que aplique multa de R$ 500 mil, por hora, enquanto a revista não cumprir o direito de resposta; “A revista traduz inequívoco descumprimento de decisão judicial, temperada de ingrediente de escárnio e menosprezo à autoridade da decisão emanada deste TSE", disse Aragão; agora, às 16h30, Veja se submeteu à lei; tarde demais?
26 DE OUTUBRO DE 2014 ÀS 16:51

247 - Só às 16h30 deste domingo, a revista Veja, da família Civita, se submeteu à lei, após o risco de sofrer multa de R$ 500 mil por hora.
Leia, abaixo, notícia anterior do 247:
247 - Não satisfeita em cometer apenas um crime, o atentado contra a democracia de sua última capa, com uma denúncia sem provas contra a presidente Dilma Rousseff às vésperas do segundo turno, Veja infringiu a lei novamente. E pode ser punida, agora, em R$ 500 mil por hora. O motivo: a empresa da família Civita se negou a cumprir o direito de resposta, nos termos fixados pelo ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral – e, ainda por cima, ironizou o juiz. (leia mais aqui).
O pedido de multa foi apresentado ao TSE, neste domingo, pelo procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão. “Além do evidente menoscabo para com a Justiça Eleitoral, minimizando os efeitos da decisão liminar concedida, ao não divulgá-la na forma determinada judicialmente, a inserção do link no espaço destinado ao direito de resposta, denominado ‘Resposta do direito’, consubstancial, na verdade, reforço da ofensa que se visava reparar”, explicou o procurador-geral eleitoral.
“A revista traduz inequívoco descumprimento de decisão judicial, temperada de ingrediente de escárnio e menosprezo à autoridade da decisão emanada deste TSE, o que desafia medidas mais rigorosas e enérgicas com vistas ao seu efetivo cumprimento”, defendeu Aragão.
O crime cometido por Veja tem três responsáveis diretos: o empresário Giancarlo Civita, principal acionista da Editora Abril, o executivo Fábio Barbosa, que a preside, e o jornalista Eurípedes Alcântara, diretor de Redação de Veja.
 Fonte: Brasil247

Nenhum comentário: