LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Ministro da Justiça ficará inerte ante o ataque fascista ao Congresso do PT?!

Ministro da Justiça ficará inerte ante o ataque fascista ao Congresso do PT?!

revoltados 3
Está tudo acontecendo às claras, diante das autoridades e de quem mais tiver estômago para simplesmente visitar página do Facebook que, enquanto prepara ataque fascista ao direito constitucional de um partido político de se reunir, faz provocações e anuncia aos quatro ventos que reunirá uma tropa uniformizada com intenções claras de provocar violência.
Matéria da Folha de São Paulo publicada nesta quinta-feira (11) em seu portal na internet reproduz o clima de guerra que está se desenhando em Salvador.
revoltados 1
“O hotel que abrigará o 5º Congresso do PT foi palco (…) de um bate-boca bastante agressivo entre petistas e o empresário Marcello Reis, líder do movimento Revoltados Online, que pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Hospedado no mesmo hotel onde se espera a chegada de Dilma e do ex-presidente Lula, em Salvador, Reis ameaçou partir para a agressão física após ser abordado pelo senador Paulo Rocha (PT-PA).
(…)
Antes da abordagem dos petistas, o líder do Revoltados Online explicava à Folha o propósito de sua presença em Salvador. “Vim encontrar o Lula, vai ser lindo”, ironizou.
Reis afirmou que dez ônibus de manifestantes chegarão à capital baiana nesta quinta para um protesto pelo impeachment de Dilma durante o congresso do partido.
Pelo menos oito entidades que capitanearam os protestos contra Dilma em março e abril deste ano convocaram manifestações de repúdio ao PT na capital baiana. Eles devem se concentrar na praça Brigadeiro Faria Rocha, no Rio Vermelho, a poucos metros do hotel onde será realizado o congresso.
(…)
Além de Reis, o protesto em Salvador terá a participação de Kim Kataguiri, coordenador nacional do Movimento Brasil Livre, que já está na capital baiana. Nesta terça-feira (9), o jovem militante participou de um café da manhã no Mercado do Rio Vermelho com deputados do DEM, PSDB e PMDB da Bahia.
Na conversa, militantes e deputados debateram propostas de impeachment da presidente Dilma e privatização da Petrobras”.
Na página do grupo fascista no Facebook, esse elemento transformou suas atitudes fascistas em fonte de renda. Está enriquecendo com a venda de bugigangas antipetistas. Em nome de uma tal “luta do bem contra o mal”, vai enchendo os bolsos ao prometer insultar figuras públicas, violando os direitos civis de um ex-presidente da República por meio de injúrias e calúnias.
revoltados 2
Qualquer criança de 10 anos é capaz de ver que o sujeito transformou essa “luta do bem contra o mal” em um negócio altamente rentável. Vende por centenas de reais um kit com meia dúzia de bugigangas que podem ser comprados por trocados em qualquer camelô. Infelizmente, não há nenhuma criança de 10 anos entre os tolos que se põem a enriquecer esse sujeito para que ele profira impropérios contra figuras públicas. E quando aparece alguém menos idiota e questiona a picaretagem, o tal Marcello Reis reage com truculência.
revoltados 4

Os ideai$ democrático$ do indivíduo são escandalosamente evidentes, pois.
Enquanto isso, a página dos “revoltados”, entre outras, faz convocações para um desastre anunciado, já que é difícil imaginar que um partido com mais de um milhão e meio de filiados aceite agressões ao seu direito constitucional de se reunir.
Ao mesmo tempo, a revista Veja trata de acirrar os ânimos com veiculações praticamente idênticas às do grupo fascista.

No fim do ano passado, o deputado do PT gaúcho Paulo Pimenta já denunciava esse grupo na Câmara.
Como bem diz Pimenta, esse grupo sofre inúmeras acusações, inclusive na Justiça. Sobretudo com incitações à violência.
Na página dos “revoltados”, o tal Marcello Reis refere-se ao ex-presidente Lula como “molusco” e promete agredi-lo verbalmente, valendo-se de estar hospedado no mesmo hotel que ele durante o Congresso do PT. Do lado de fora, anuncia-se uma batalha campal.
O PT é um partido detentor dos votos de milhões de brasileiros. Tem uma legitimidade milhões de vezes maior do que a de um grupelho de “revoltados” gananciosos que usam o ódio para ganhar dinheiro e notoriedade. E mesmo que os “revoltados” tivessem sido eleitos por alguém, não teriam o direito de ir agredir ninguém.
A Alemanha pré-nazista viu movimentos como esse se espalharem. Vendo esses grupos uniformizados agirem, é difícil não traçar um paralelo com os “camisas-marrons” de Hitler.
O maior assassino da história dependia do ódio para atingir seus objetivos. Cooptou milhares de jovens desempregados e os vestiu com camisas marrons para lutarem “contra o mal”. Aqueles “policiais auxiliares” saíam às ruas para agredir e executar os que eram contra o regime. O medo garantia o silêncio dos alemães que não apoiavam os nazistas.
revoltados 5
A intenção anunciada dos “revoltados”, sob a liderança do aspirante tupiniquim a Hitler, de impedir o Congresso do PT na Bahia e os ataques físicos e verbais dessa gente a qualquer um que considere “suspeito” de ser “petista”, torna impossível não fazer essa comparação.
Não é preciso gostar de Lula, mas ele merece respeito. É um ex-presidente da República, não foi acusado de nada e cabe às instituições e às autoridades garantir sua proteção contra qualquer tipo de agressão. Sobretudo quando essa agressão se faz anunciar de forma tão clara por um fascista qualquer como o tal Marcello Reis.
Não existe nação democrática no mundo que não preserve um ex-presidente da República, sobretudo um que deixou o cargo com 80% de aprovação, como Lula.
Além de assustador, é revoltante ver as autoridades inertes diante do crescimento de um movimento de viés claramente fascista como esse composto por “revoltados”, e outros similares.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tem o dever funcional de se pronunciar e de tomar uma atitude. Após o revoltado-mor, Marcello Reis, anunciar suas intenções agressivas contra o ex-presidente Lula, o mínimo que se espera é que seja intimado a prestar esclarecimentos e que seja retirado do hotel no qual pretende causar novos tumultos.

Nenhum comentário: