LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

"O Quarto Poder" aborda as facetas pouco conhecidas dos meios de comunicação do Brasil


Dirigentes do PT prestigiam lançamento do livro de Paulo Henrique Amorim
"O Quarto Poder" aborda mais de 50 anos de trabalho e história para contar sobre as
 facetas pouco conhecidas dos meios de comunicação do Brasil



O presidente Nacional do PT, Rui Falcão, o vice-presidente, Alberto Cantalice, e o secretário de Finanças do partido, Marcio Macêdo, durante lançamento do livro de Paulo Henrique Amorim. (Foto: Arquivo pessoal)


Por: Agência PT, em 10 de setembro de 2015 às 16:07:08

O jornalista Paulo Henrique Amorim lançou o livro “O Quarto Poder”, nesta quarta-feira (9), no Shopping Iguatemi, em Brasília (DF). Estiveram presentes para prestigiar o trabalho do repórter, o presidente e o vice-presidente Nacionais do PT, Rui Falcão e Alberto Cantalice, e o secretário Nacional de Finanças do partido, Márcio Macêdo.

A obra traz mais de 50 anos de trabalho e história do jornalista para recordar as facetas pouco conhecidas dos meios de comunicação do Brasil.

Entre os fatos relatados no livro estão situações desde o período do governo Getúlio Vargas, passando pela ditadura, criação da Rede Globo.

Paulo Henrique Amorim conta também os bastidores de momentos da história contemporânea brasileira, como a transição do governo militar para a democracia, dos governos de José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardozo, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

São 550 páginas que analisam também meio século de mudanças na mídia nacional. A renúncia do presidente Jânio Quadros, a Guerra civil de Ruanda. “O Quarto Poder” é uma obra de memória e história que explica, além do processo de instalação e desenvolvimento para a TV, aborda o papel da imprensa nas coberturas de fatos que marcaram a história política do país.

Em entrevista ao portal “Vermelho”, Paulo Henrique Amorim contou que do início até a conclusão do livro foram necessários quatro anos de trabalho e pesquisa em seus próprios documentos e anotações de quando trabalhava como repórter.

O jornalista fala ainda sobre o Partido de Imprensa Golpista (PIG), criado por ele para nomear a mídia que substituiu de forma raivosa a função dos partidos da oposição.

Segundo ele, os veículos de comunicação brasileiros sempre foram contra a classe trabalhadora, desde Getúlio Vargas, Leonel Brizola e João Goulart, incluindo os mais recentes governos de Lula e da presidenta Dilma.

Por Danielle Cambraia, da Agência PT de Notícias

Nenhum comentário: