LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Agripino Maia: um demo no inferno?

07/10/2015 - Copyleft

Agripino Maia: um demo no inferno?

Ex-coordenador de campanha de Aécio, o 'paladino da ética' possui vastas acusações de corrupção. E a cobertura da mídia sobre o caso, cadê?



Altamiro Borges, em seu blog.
Geraldo Magela / Agência Senado

Será que desta vez o demo José Agripino Maia vai parar no inferno - se o capeta aceitar tão péssima companhia? Nesta segunda-feira (5), a Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal pedido para investigar o presidente nacional do DEM por suspeita de combinar o pagamento de propina com executivos da construtora OAS nas obras da Arena das Dunas, estádio no Rio Grande do Norte que sediou quatro jogos da Copa do Mundo de 2014. Segundo o Estadão, o PGR encontrou vários indícios de que o senador potiguar praticou crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.
 
"A Arena das Dunas foi colocada à venda em março deste ano pela OAS, responsável pela obra, menos de um ano depois dos jogos. A medida fez parte de um pacote da construtora para evitar prejuízos junto aos credores. Com dívida de R$ 8 bilhões, a companhia enfrenta dificuldades de crédito no mercado desde que foi vinculada ao esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. O estádio potiguar custou R$ 423 milhões e foi construído por meio de uma parceira público-privada", relatou o jornalão. Há fortes provas de desvio de recursos públicos na obra.
 
Diante da decisão do PGR, o demo Agripino Maia, que adora posar de paladino da ética, afirmou que ainda não foi notificado e rotulou a acusação de "absurda, inverídica e descabida". Não custa lembrar que o presidente do DEM está envolvido em outras histórias sinistras. Ele é alvo de um pedido de abertura de inquérito por suspeita de ter cobrado propina de R$ 1 milhão para permitir um esquema de corrupção no serviço veicular do Rio Grande do Norte. O senador foi denunciado em entrevista do empresário George Olímpio, exibida no programa Fantástico, da TV Globo, em fevereiro passado. 
 
Este escândalo logo foi abafado pela mídia e até hoje tramita sob sigilo da Justiça, sem vazamentos seletivos, prisões arbitrárias ou "delações premiadas". Outros demos ilustres - como o senador Demóstenes Torres, o "mosqueteiro da ética" da Veja que foi cassado por suas ligações com o mafioso Carlinhos Cachoeira, e o ex-governador José Roberto Arruda, flagrado embolsando dinheiro dos cofres públicos do Distrito Federal - já conseguiram escapar do inferno. Até passaram alguns dias na cadeia, mas hoje estão livres e soltos. Será este o destino do jagunço Agripino Maia? A conferir!
Créditos da foto: Geraldo Magela / Agência Senado

Fonte: Carta Maior

Nenhum comentário: