LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

OAB lança charge-resposta à charge fascista do Globo

charges
A OAB divulgou charge resposta à charge puxa-saco de patrão e fascista de Chico Caruso, publicada no jornal O Globo.
ScreenHunter_345 Jan. 21 19.41
A Globo, representante maior do golpismo no Brasil, lidera a campanha para criminalizar a política.
Nessa campanha, tudo que se relaciona com a política é igualmente criminalizado: os empresários que tem negócios com governos, blogueiros, movimentos sociais, sindicatos, simples militantes, e até mesmo, cúmulo do banditismo midiático, os advogados que defendem os empresários.
Os advogados, neste momento, estão sendo um estorvo para a mídia, porque eles, armados com seus conhecimentos constitucionais, estão se interpondo no caminho do golpe.
Não foi à tôa que um maiores constrangimentos do golpismo nojento que vimos em 2015 foram manifestos de juristas contra uma tentativa de impeachment sem base legal.
O golpe, para ser consumado, precisa levar políticos e empresários à execração pública, destruir um monte de empresas para produzir crise e desemprego, manter réus presos por tempo indeterminado (até forçá-los a entrar no jogo sujo das delações combinadas), ignorar quaisquer vícios ou erros nos processos.
Os advogados já entenderam que se trata de um processo puramente político, uma nefanda conspiração judicial, cujos julgamentos são feitos antecipadamente na mídia.
Sergio Moro ignora solenemente, com chancela da mídia, qualquer mínima defesa por parte dos réus. Os tribunais superiores, por sua vez, acoelham-se diante da virulência dos meios de comunicação, que não hesitam em apelar para todo o tipo de ameaça.
Com este entendimento, os advogados se viram forçados, pelas circunstâncias, a fazer a batalha da comunicação. É a única maneira de defenderam seus clientes, já que a justiça está submetida de maneira quase absoluta a uma lógica midiática, ao invés de submetida às leis.
Então a mídia passou a atacar também os advogados, com todas as suas armas: editoriais, charges, manipulação da informação.
A OAB - mais esperta que o governo, por exemplo, que nunca responde - entendeu que, se quiser defender os advogados, precisa responder com as mesmas armas da mídia.
A charge-resposta da OAB:
20160121134118
Ainda sobre este assunto, vale ler a manifestação de Wadih Damous à violência simbólica do Globo aos advogados.
***
DAMOUS: CHARGE DE CARUSO "AFRONTA E DESRESPEITA" ADVOGADOS
Deputado federal Wadih Damous, ex-presidente da OAB-RJ, cobrou o comando nacional da entidade a se manifestar contra a charge de Chico Caruso no Globo, para ele, "instrumento do puxa saquismo" do cartunista com os donos do jornal; charge traz o seguinte diálogo: "- E esse aí, é mocinho ou bandido? – Pior: é advogado!"
21 DE JANEIRO DE 2016 ÀS 17:08
247 – O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) criticou duramente em sua página no Facebook a charge assinada por Chico Caruso e publicada nesta quarta-feira pelo jornal O Globo. Para ele, que é advogado, a charge "afronta e desrespeita" a categoria e é ainda um "instrumento do puxa saquismo" do cartunista com os patrões.
A charge de Caruso traz o seguinte diálogo: "- E esse aí, é mocinho ou bandido? – Pior: é advogado!". Damous criticou: "ultrapassou a todos o limites do achincalhe". "A tal charge afronta e desrespeita uma categoria profissional que possui uma honrada folha de serviços prestados ao país", acrescentou.
O deputado cobra a OAB para se manifestar contra "na defesa da advocacia agredida". Leia abaixo a íntegra de seu texto:
O PUXA SACO E A ADVOCACIA
A charge assinada por Chico Caruso, no jornal O Globo, ultrapassou a todos o limites do achincalhe. A tal charge afronta e desrespeita uma categoria profissional que possui uma honrada folha de serviços prestados ao país. E não a tratemos como mera piada de mau gosto. Trata-se, na verdade, de um ataque ao Estado de Direito e aos princípios dele decorrentes, como o devido processo legal, a presunção de inocência e o direito à defesa. Já não basta a criminalização geral de tudo e de todos. Agora, tentam desqualificar até o advogado de defesa. A charge jornalística sempre foi um poderoso e democrático instrumento de crítica política. Com Chico Caruso, foi rebaixada a uma espécie de extensão da linha editorial do jornal. Ou seja, instrumento do puxa saquismo. Esses são os tempos bicudos em que vivemos, onde imperam a mediocridade e a selvageria do senso comum. Espero que a OAB, de imediato, se manifeste na defesa da advocacia agredida.

Recebido por e-mail

Nenhum comentário: