LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Operação esconde FHC e Globo

Operação esconde FHC e Globo


ED FERREIRA: <p>O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, durante lan�amento da candidatura de Jos� Serra � Presid�ncia da Rep�blica pelo PSDB, no Centro de Conven��es Brasil 21.</p>
Hoje foi deflagrada uma nova etapa da Operação Lava Jato, denominada Acarajé. Entre as medidas, está a expedição do mandado de prisão do publicitário João Santana, responsável, entre outras campanhas, pela de Dilma Roussef à presidência.
Como de praxe, a operação teve todo suporte midiático que costuma ter. E com um personagem que chama a atenção. Assim, o caso envolvendo FHC e Globo já passa praticamente a segundo plano, sem ter sido tratado de forma decente pela mídia tradicional.
Na capa de Veja, mais uma vez Lula; de novo um factoide. Em outras semanais, nem um pio sobre o ex-presidente tucano. Ou sobre a Brasif. Ou, ainda, sobre a Globo, seu triplex, e o elo que a liga ao imbróglio FHC-Mirian Dutra.
Não é nenhuma novidade que a Lava Jato e mídia tradicional jogam juntas. Uma depende da outra. A primeira usa os vazamentos seletivos para conseguir seus objetivos de curto e longo prazo. A segunda tem seus alvos desde sempre (lembrem-se da confissão da presidenta da ANJ de que a mídia tradicional era a real “oposição” no Brasil).
Nada novo. Porém, agora a nova fase da Lava Jato também ajuda a tirar do noticiário um caso que envolve um ex-presidente da República e a poderosa Rede Globo, parceira de primeira hora de Sergio Moro, a quem já premiou como personalidade do ano.
Enquanto isso, diversas questões continuam sem resposta. Por que FHC usou a Brasif para fazer pagamentos a Mirian Dutra? Que tipo de relações a empresa, que foi concessionária do governo federal, tinha com sua gestão ou com governos tucanos?
A Globo também tem muito a explicar. Até porque pagou por quase 20 anos uma funcionária, segundo a mesma, para exilá-la. E para proteger o então presidente da República.
No momento em que isso deveria ser discutido, surge mais um episódio da Lava Jato. Cujo nome oficial é Acarajé, se bem que poderia ser denominada de Operação Esconde FHC ou Esconde Globo. Mas claro que isso é bobagem. O fato de o juiz Sergio Moro ganhar prêmio da Globo é algo absolutamente natural. Em qualquer lugar do mundo isso seria considerado natural…
Fonte: Brasil247

Nenhum comentário: