LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Dilma à CNN: não deixaram Lula ser ministro para eu não me fortalecer

Dilma à CNN: não deixaram Lula ser ministro para eu não me fortalecer

cnndilma
Na entrevista dada à repórter da CNN Christiane Amanpour, correspondente-chefe da TV CNN para assuntos internacionais, o mais importante, na minha opinião, é que a Presidente pode, pela primeira vez, falar o que significou a inexplicável demora do STF em examinar a igualmente inexplicável decisão de Gilmar Mendes de impedir a posso de Lula na Casa Civil.
Ela disse que “a ajuda do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil teria sido fundamental para evitar a abertura do processo de impedimento”. Segundo a presidenta, seus adversários “fizeram de tudo para evitar a posse do ex-presidente com alegações absurdas, como por exemplo dizer que seu objetivo era apenas o de dar foro privilegiado” a seu antecessor.
“Então essa história era, não era bem assim, era para impedir, por que a vinda do Lula me ajudaria. O Lula é uma pessoa com experiência, ele durante oito anos foi presidente da República. Ele como ministro-chefe da Casa Civil me ajudaria e muito no Brasil. Ele conhece totalmente o Brasil, por que não deixaram? Não deixaram porque sabem que ele nos fortaleceria.Veja você que o próprio Supremo recentemente julgou uma parte dessa questão e deu fórum privilegiado para o Lula. Nem por isso eles aprovaram a entrada dele na Casa Civil”.
Dilma disse também que não teve”um minuto de paz” nos últimos 15 meses, desde que se reelegeu, e passou a enfrentar dificuldades políticas no Congresso. Segundo a presidenta, todas as medidas enviadas à Câmara para enfrentar as dificuldades econômicas foram torpedeadas pela Casa e por seu presidente.
Assista abaixo um pequeno trecho sem a tradução em inglês que consegui obter e, mais abaixo e em dois blocos, os 18 minutos da entrevista, com as respostas de Dilma cobertas pela tradução em inglês.
Fonte: Tijolaço

Nenhum comentário: