LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Se Teori Zavascki aceitar denúncia contra Aécio, PSDB inteiro dança

Se Teori Zavascki aceitar denúncia contra Aécio, PSDB inteiro dança

furnas capa

Apesar dos pesares – e que pesares! – existe a possibilidade – pequena, mas existe – de que outros partidos além do PT comecem a responder a denúncias que datam de períodoa muito anteriores à chegada de Lula ao poder e jamais foram apuradas por interferência do governo FHC e da mídia.
Janot pede para ouvir, em 90 dias, o presidente do PSDB e o ex-diretor de Furnas Dimas Toledo, dentre outros suspeitos de envolvimento no caso Furnas. Janot solicita ainda que a Polícia Federal colete, entre o material já aprendido e produzido na Lava Jato, evidências que contribuam para o esclarecimento da apuração.
Delcídio Amaral afirmou, em relação a Aécio, que “sem dúvida” o tucano recebeu propina em um esquema de corrupção na estatal de energia Furnas, que, segundo o delator, era semelhante ao da Petrobrás, envolvendo inclusive as mesmas empreiteiras.
Nesta nova petição encaminhada ao STF, o procurador-geral da República pede o desarquivamento do depoimento do doleiro Alberto Youssef que também havia implicado Aécio em um suposto esquema de corrupção na estatal.
Na ocasião, Youssef apontou que o PSDB possuía influência em uma diretoria de Furnas, juntamente com o Partido Progressista (PP), por meio de José Janene (ex-deputado do PP, morto em 2010), e havia pagamento de valores a empresas contratadas.
O doleiro apontou ainda ter ouvido falar de Janene que o senador teria recebido valores mensais, por intermédio de sua irmã, da empresa Bauruense, contratada por Furnas.
Abaixo, o depoimento de Yousseff sobre Aécio
Nos últimos anos, Janot rejeitou várias vezes os pedidos de investigação contra Aécio. E, desta vez, para fazê-lo deu um jeito de mandar alguma coisa contra Dilma e Lula ao STF, uma acusação absurda de que Dilma, ao nomear Lula ministro, ambos, presidente e ex-presidente, teriam tentado interromper investigações sobre Lula.
Ora, é um absurdo. Lula não deixaria de ser investigado, sendo ministro. Apenas seria investigado pelo Supremo.
Mas Janot precisava – ou achou que precisava – implicar os petistas em alguma coisa para conseguir denunciar Aécio por esse escândalo tão antigo e insepulto cujo DNA está na já histórica “Lista de Furnas”, documento periciado e dado como verdadeiro pela própria Polícia Federal e por peritos independentes, conforme o leitor pode ver abaixo.
Clique na imagem para ver documentos que comprovam autenticidade da lista.
lista furnas

Se – apenas se – Teori Zavascki aceitar o tardio pedido do PGR para investigar Aécio, voarão penas para tudo que é lado no ninho tucano, mas não só. A “lista” implica meio mundo, com destaque para o PSDB. Veja o gráfico dos principais atingidos.
furnas 1
Como se vê, o PSDB fica com a parte do leão do esquema. Mas será que Zavascki aceita investigar um dos políticos que, devido à blindagem de seu partido pela mídia, vêm zombando da lei durante décadas?
O azar de Aécio e de seu partido é que o caso caiu na mão de Teori Zavascki. É um dos ministros do Supremo que menos se acovardam diante da mídia.
Note-se que, ano passado, Zavascki discordou de Rodrigo Janot quando ele pediu o arquivamento do processo contra Aécio envolvendo a “Lista de Furnas”. Na decisão em que aceitou o arquivamento do caso envolvendo Aécio, Zavascki escreveu, com todas as letras, que considerava “improcedentes” as razões de Janot para pedir o arquivamento da investigação contra Aécio.
Confira no documento abaixo.
aécio teori 1
Agora, Janot devolve a Zavascki investigação que o ministro do STF não queria que fosse arquivada, mas que aceitou arquivar porque, segundo a lei, se a ação é proposta pelo procurador-geral da República e ele pede seu arquivamento, cabe àquela Corte acatar.
Em suma, se essa investigação – que o PSDB e sua mídia tanto tentaram impedir que começasse – efetivamente começar, a queda de Dilma marcará o começo do desmascaramento do PSDB, a começar pelo seu membro mais enrolado, cujos problemas com a Justiça qualquer mineiro conhece de cor e salteado.

Nenhum comentário: