LULA 2018

"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"

REVISTA BR247 EDIÇÃO #29 - 6 DE MARÇO DE 2015

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Cuba é exemplo de inclusão também pelo esporte, afirma Galo em recepção a atletas na Bahia

Cuba é exemplo de inclusão também pelo esporte, afirma Galo em recepção a atletas na Bahia

Os atletas de Judô e Taekwondo de Cuba chegaram a Salvador nesta segunda-feira (25) para fazer aclimatação na cidade em preparação às Olimpíadas. O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelino Galo (PT), participou da recepção aos atletas. Galo destacou o trabalho desenvolvido pelo governo cubano através da integração e promoção da educação com o esporte.

 "A integração do estudo com atividades lúdicas e práticas esportivas fizeram de Cuba uma potência esportiva, referência em diversas modalidades esportivas no mundo. Cuba é esta referência de inclusão social, é o exemplo de que é possível transformar a vida das pessoas pela educação, pela cultura e pelo esporte", afirmou o parlamentar, que esteve ao lado de Laura Pujol, Cônsul Geral de Cuba no Nordeste.

Além da Piscina Olímpica da Bahia, localizada na Avenida Bonocô, em Salvador, que foi disponibilizada para equipe de pólo aquático, o Centro Pan-Americano de Judô (CPJ), em Lauro de Freitas, acolherá os atletas cubanos no período preparatório. Os judocas treinam na capital baiana até o dia 4 de agosto, enquanto as seleções de taekwondo e halterofilismo ficam até 12 de agosto.  

O país caribenho vai contar com  120 atletas competindo em 18 modalidades. De acordo com Instituto Nacional de Esportes (Inder) de Cuba, a projeção é terminar a competição  entre os 20 melhores classificados. Cuba acumula um histórico de conquistas respeitável nas 19 participações em Olimpíadas, com 208 medalhas, das quais 72 foram de ouro. Os jogos Olímpicos no Brasil começam no dia 5 de agosto e terminam no dia 21 do mesmo mês.

 

Foto divulgação

Assessoria de Imprensa

Recebido por e-mail

Nenhum comentário: